quarta-feira, 22 de abril de 2009

Cidade

gosto da minha cidade
com vida dentro
um mar de gente
errante, mas com destino
vivendo num alegre turbilhão
de fantasia, movimento,
reboliço, novidade
um povo presente
em constante agitação
gosto, da minha cidade
com coração.

6 comentários:

Meg disse...

Amiga Paginadora,

Que se passa com o teu blog?
Quando tento entrar, diz-me que o IExp não consegue abrir.
E o link aparece-me assim...
http://paginasecretas.blogspot.com/feeds/posts/defaultentão apaguei feeds/posts/default

e só assim consegui entrar.

Tentei entrar por outros blogs e não consegui.

Não sei se consegues saber como remediar isto, senão ficas aqui isolada, minha amiga.

E gostei muito do teu poema.
É bom sentir assim o meio em que nos movemos.

Espero também que esteja tudo bem contigo.

Um beijo

Vieira Calado disse...

Eu não sei muito bem.

Por vezes também gosto muito da minha cidade.

Outras, preferia viver no isolamento dos campos.

Bjs

Margarida disse...

Adoro a minha cidade,que é Évora,é onde vivi amores e desamores,onde senti a alegria do nascer do dia ,é também onde seco as minhas lágrimas.Aqui gostava de morrer,conheço todas as calçadas,aqui estou em casa,aqui os meus cabelos estão a ficar grisalhos,aqui morro e renasço todos os dias.Margarida

Zé Povinho disse...

Eu também não desgosto do sítio onde vivo, tenho é pena que as coisas não andem melhor, mas afinal isto é Portugal.
Abraço do Zé

Anónimo disse...

Que eu gosto da cidade, não há dúvidas..
Mas também sei que ainda gostaria mais, se ela me brindasse com mais vida, mais movimento, que correspondesse um pouco mais à forma de sentir de muitos eborenses.
Anseio para que as coisas mudem num futuro próximo..

Beijinhos
luana

Pedrasnuas disse...

E EU GOSTEI DESSE POEMA CHEIO DE MOVIMENTO...

BEIJINHO